Batman & Arlequina – Crítica

 

Por Eduardo Queiroz

No rastro de um ano repleto de datas comemorativas envolvendo o Cruzado de Capa, a DC Comics lançou Batman & Arlequina, o tão aguardado projeto derivado do notável universo de Batman: A Série Animada.

“Mas afinal, não se trata apenas de um filme?” – Essa talvez seja uma pergunta que o caro leitor esteja a fazer nesse momento, ao constatar que mencionei a palavra “projeto” tanto na resenha quanto no vídeo. E é isso mesmo! Como você verá mais adiante, Batman & Arlequina foi estrategicamente elaborado, com a finalidade de promover histórias que vão além dos acontecimentos do longa animado. Mas vamos ao filme primeiro!

Desenvolvida por profissionais carimbados do Departamento de Animação da DC, o filme investe na inusitada parceria de Batman, Asa Noturna e Arlequina contra os planos mirabolantes da ecoterrorista mais relevante das  HQ’s, a Hera Venenosa. Dessa vez, ela tem a intenção de modificar, radicalmente, a existência humana através do uso de uma fórmula bio-restauradora capaz de transformar seres humanos em híbridos com plantas.

Boa ideia para uma trama, não é? Sim, porém foi mal elaborada. Batman & Arlequina peca por ter lacunas em seu enredo e certo desleixo na execução da animação, a começar pelo tom pejorativo em algumas das cenas envolvendo a personagem Arlequina, mais a perceptível queda da produção em seus minutos finais.

Em contrapartida, a animação apresenta personagens conhecidos dos fãs de quadrinhos, e que não foram explorados na série original. Além de incluir determinados inimigos do Homem-Morcego em momentos que fogem do convencional, mas que vejo como um dos acertos da adaptação para o público.

Diante da aparente relutância dos produtores em decidir os rumos do filme, eu aconselho que seja visto sem grandes expectativas ou comparações com as criações anteriores. E não, caro leitor, não foi fácil chegar a essa conclusão! Afinal, como eu havia mencionado no início da crítica, as histórias vinculadas ao que se passa no filme estão sendo produzidas, mas em HQ’s comercializadas no formato digital.

E para desenvolver essa etapa do projeto, foram convocados o roteirista Ty Templeton e o ilustrador Rick Burchett, que é a mesma dupla responsável por desenvolver uma parcela significativa da excelente série em quadrinhos dos anos 90, Batman: O Desenho da Tv, uma adaptação direta da animação que completou 25 anos esse mês, ao lado da Arlequina.

O intuito é que as cinco primeiras edições da minissérie sejam dedicadas aos eventos que antecedem os acontecimentos do filme, como um tradicional prequel. E então, a partir de Outubro desse ano, mais sete volumes serão lançados, mas focados em um conteúdo posterior ao filme, totalizando assim 12 volumes!

E se tá achando pouco, tem mais por vir: Em um recente comunicado, a DC Comics confirmou o desejo de lançar as 12 edições no formato impresso, logo mais no verão de 2018. E já fica registrada aqui a torcida da TN para que esse material seja lançado também no Brasil, porque as quatro primeiras edições já foram disponibilizadas, eu li e me agradou bastante o resultado.

Portanto, minha nota final para o filme é 1.5/ 5, mas para o projeto, como um todo, eu jogo na mesa 3-DADOS-TN!

Valeu e até a próxima!

 

Edu Queiroz
Sobre Edu Queiroz 3 Artigos
Psicólogo, leitor inquieto, fã do som de vitrola e eterno simpatizante das expressões de Haddock.