Bon Odori: a cultura japonesa em Salvador

Nesse fim de semana, aconteceu em Salvador a 12ª edição do Festival da Cultura Japonesa, o evento que marcou a comemoração dos 110 anos de imigração de japonesa no Brasil, num encontro recheado de apresentações tradicionais frente à contemporaneidade do público visitante.

Realizado no Parque de exposições de Salvador, mesmo sob a chuva de inverno que surpreendeu os soteropolitanos, o espaço foi tomado em todos os dias de evento por diferentes públicos, desde crianças à idosos, com atrações para todas as faixas etárias.

Entre apresentações tradicionais e uma infinidade culinarística, o público se rendeu, mais uma vez, aos estandes de souvenirs dispostos em local estratégico do Parque. As compras foram ponto forte do evento: camisas, canecas, bottons… dos personagens favoritos dos visitantes, principalmente do público mais jovem. Esse ponto, contribuiu, de alguma forma, para o ofuscamento da proposta do evento, dando a sensação que os visitantes (parte deles) buscava encontrar os mesmos representantes de comércio local também presentes em outros eventos enquadrados como “nerd”.

Em conversa com alguns dos frequentadores de longa data, os mesmos sinalizaram algo em comum sobre o evento: as apresentações e estrutura têm sido as mesmas nos últimos anos, da mesma forma que, foram notadas a ausência de algumas outras atrações, como o caso de estandes de mangás, o que por fim, não despertou grandes expectativas sobre o evento aos veteranos.

Um dos encantos do encontro, foi, sem dúvida, as cores, indumentárias e apresentações das danças tradicionais apresentadas no Palco Haru, encanto que era enaltecido ao anoitecer, com o charme da iluminação das lanternas japonesas espalhadas por todo o Parque.

Nosso país é de fato um caldeirão composto por contribuições culturais de cada canto do mundo, e seria inegável o destaque da contribuição japonesa como parte dessa miscigenação de povos, seja na culinária, na medicina e literatura/cultura, este último tão presente pelos consumidores da cultura pop em geral.

Então, como uma grande celebração da chegada da imigração nipônica no Brasil, o Bon Odori encerra sua apresentação para o ano de 2018.

Danielle Sodré
Sobre Danielle Sodré 34 Artigos
Engenheira Ambiental e Sanitarista. Fã da Mulher-Maravilha. Entusiasta por representações femininas na cultura pop e suas repercussões