Canário Negro – O som e a fúria

Por Danielle Sodré.

Em um tom mais sóbrio e em ritmo musical, Dinah Drake, ou melhor, Dinah Lance, a Canário Negro é apresentada em meio à mistérios e muita pancadaria em O Som e a Fúria, HQ publicada pela Panini Comics neste ano de 2016.
Na tentativa de dar um novo rumo à sua vida com a ausência de sua família, Dinah embarca em uma única turnê com a formação da banda Canário Negro. Sem saber ao certo a razão do convite que recebeu para cantar – apesar do gosto musical já estar presente na heroína, a DD, como e carinhosamente chamada, aceita o desafio e cai na estrada.
Formada apenas por mulheres, a banda recebe a participação de uma garotinha muito especial, de origem desconhecida, mas, que consegue traduzir em rifes de guitarra todo seu significado. O mistério sobre a garotinha revela um desfecho pra lá de outro mundo, ou melhor, de mundos paralelos… Em uma sobreposição de cores bem trabalhadas por Lee Loughridge, a HQ é o resultado da contribuição de Brenden Fletcher no roteiro e de Annie Wu e Pia Guerra nos desenhos que puderam dar à personagem central características mais próximas ao perfil de ex combatente (arma) de guerra, com movimentos e robustez da Canário que foi treinada por assassinos, referência à Team 7 (era de Ouro dos Quadrinhos), grupo que foi composto também, pelo seu ex companheiro, Kurt Lance e, Amanda Waller.
Além de ser uma história intrigante, a produção traz várias referências a histórias clássicas que envolvem Dinah Drake e que instigam o leitor para melhor entendimento das origens da Canário Negro como, a inserção de Amanda Waller numa pesquisa secreta que pode estar atrelada à aquisição do poderoso grito da Canário; a suposta morte de Kurt Lance; além da citação da personagem Amazona (Mulher Maravilha) e seu laço da verdade, por exemplo.
A HQ termina com um “Q” de continuação, implicando em um mistério a ser desvendado… O que está por vir? Vale a pena esperar e conferir mais uma história de uma das importantes personagens femininas da DC Comics.

Danielle Sodré

Danielle Sodré

Engenheira Ambiental e Sanitarista. Fã da Mulher-Maravilha. Entusiasta por representações femininas na cultura pop e suas repercussões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.