Dark: Coerente e ousada!

Desde a criação do seu selo de originalidade, a Netflix tem entregado algumas das obras mais bem estabelecidas no show biz. Algumas tiveram seu auge, e caíram em desgraça, como foi o caso de House of Cards, por exemplo. E outras, ainda se mantêm queridinhas nos corações dos telespectadores, como Stranger Things. Fora do eixo estadunidense, La Casa de Papel foi um fenômeno mundial. Porém, Dark, em seu último ano, ganhou destaque e alcançou o auge de seu sucesso e qualidade para o streaming.

 

A fama de Dark se deu pela sua complexidade de entendimento logo nas primeiras temporadas, fator este, que conquistou o público. É uma produção muito bem escrita e dirigida pela dupla Jantje Friese e Baran Bo Odar, que consegue dar um fôlego a mais na temática de viagem no tempo. A série tem seu conceito, basicamente, no Paradoxo de Bootstrap, que consiste no paradoxo da viagem no tempo em que as informações ou objetos podem existir sem terem sido criados de fato.

 

Com isso, a série desenvolve sua trama e mitologia muito dinamicamente e de forma a instigar a curiosidade do público, deixando para seu último ano a responsabilidade de responder todas as perguntas feitas nos anos anteriores. E todas são respondidas? Bem… não! Algumas curiosidades pequenas, e uma brincadeira carregada por toda a série, deixaram o público instigado no final da temporada.

 

Mas o grande trunfo, e mérito de Dark, é sua coerência. Diferente de produções para TV, que “deram voz” ao que o público pedia (cof… cof… Lost), e, até mesmo, a produções Hollywoodianas, a série fecha no que sempre se propôs desde o começo, ser bem definido com início meio e fim. Você pode até não gostar, mas com certeza a sério fechou com um final coerente com a sua própria história.

 

Apesar de toda sua complexidade, Dark basicamente é uma história de amor, com toda as suas sub ramificações. Chega a ser engraçado como tanta complexidade acaba por recair num tema tão “simples”. A série finaliza seu ciclo de forma coerente e segura, entregando uma ótima trama.

Avatar

Ronan Carvalho

Designer, Gamer, Membro da Tropa dos Lanternas Amarelos e morador de Hell's Kitchen