Emoji – O Filme | Crítica

A animação, que estreia hoje, do diretor Tony Leondis, nos leva para dentro do celular de um adolescente, mais especificamente no aplicativo de mensagens. Lá existe Textópolis, a cidade onde vivem todos os emojis. Depois de uma breve narrativa enquanto rodamos a cidade, somos apresentados ao filho dos “Meh”, o emoji bugado que, na tentativa desesperada para se encaixar, acaba provocando um grande problema que pode deletar o mundo deles para sempre.

Apesar de ser uma animação voltada ao público infantil, ela traz uma série de críticas a situações ligadas à tradicional busca pela própria identidade. O diferencial está em apostar na abordagem leve e recheada de piadas, tirando o foco do ser humano a apostando na ambientação em um universo virtual fantasioso.

É uma pena não conseguirmos ver a animação com as vozes originais, mas a dublagem está excelente! Nenhuma voz parece desconexa ou se sobressai mais do que o próprio personagem – a exemplo de Veveta, que no último filme dos Smurfs roubou a cena com aquele vozeirão, mas infelizmente não passou a essência da personagem.  Uma voz em especial pareceu muito familiar e, apesar de não achar detalhes sobre os envolvidos na dublagem nacional, chuto que o nosso amigo Hi5 (ou bate-aqui) tem o mestre Guilherme Briggs como dublador.

 

Há ainda um ponto sendo altamente criticado: é um absurdo fazer um filme com emoticons, onde a animação vai parar? Confesso que essa foi a minha primeira impressão, mas é um julgamento que não cabe; afinal, é para isso que a animação existe: tirar os personagens absurdos que vivem no imaginário e fazer do impossível algo real.

O diretor tem em sua filmografia animações bem fracas, como Lilo & Stitch 2 e A Nova Onda do Kronk. Emoji: O Filme é um acerto que, apesar de uma premissa clichê, é recheado de críticas ao mundo moderno e nos deu personagens carismáticos e com um 3D que espanta (vindo de um filme que tem o dedo da Sony). Faltou pouco e vamos fazer uma aposta alta: 4/5 dadinhos. Levemos nossas crianças para se divertir e pensar!