Lista com bons livros de Terror!

Por Manu Souza

 

Bem vindos! Hoje trouxemos para vocês uma lista de alguns bons livros de terror. A lista é baseada em minhas experiências. Espero que vocês gostem também!

 

O Iluminado, de Stephen King (1977)

Jack Torrance (aspirante a escritor e alcoólatra) se muda com sua esposa Wendy e seu filho Danny para o Hotel Overlook após aceitar trabalhar no hotel durante sua baixa temporada. O que eles não sabem é que o hotel abriga forças sobrenaturais malignas que vão mexer com a sanidade de Jack e colocar a vida de Wendy e Danny em perigo. Apesar de ser o terceiro livro de King, esse é o seu primeiro best-seller. Tanto os cenários quanto os personagens são baseados em experiências próprias do autor, incluindo sua reabilitação do alcoolismo e suas visitas ao Hotel Stanley (Colorado). O Iluminado teve sua história transformada em filme (1980), com Jack Nickolson no papel do icônico Jack Torrance, e uma minissérie (1997), com Rebeca De Mornay no papel de Wendy. No ano de 2013, ganhou uma sequência chamada Doctor Sleep.

Observação para quem leu e gostaria de ver o filme e vice-versa: o filme de 1980 é ótimo, um clássico dos filmes de terror; a minissérie é a cópia quase fiel do livro (foi produzida pelo próprio Stephen King, que não gostou do filme).

 

O Exorcista, de Peter Blatty (1971)

A descoberta de uma estátua do demônio Pazuzu e a possessão de uma garota de 11 anos (Regan Mcneil) se interligam, levando Padre Merrin a enfrentar um destino perigoso e uma entidade ainda mais perigosa. O Exorcista foi considerado o romance mais macabro da década de 70. Peter Blatty baseou sua obra em uma história real que aconteceu em 1949, no estado de Maryland, com um menino de 13 anos chamado Ronald. Em 1973, o livro ganhou sua versão cinematográfica, levando críticos e espectadores à loucura.  De lá pra cá, mais 4 filmes e uma minissérie (2016) foram produzidos, mas aconselho assistir somente o primeiro filme.

Curiosidades: o livro foi lançado pela primeira vez no Brasil pela editora Nova Fronteira, e o lucro das vendas possibilitou o lançamento da primeira edição do Dicionário Aurélio; no Museu do Louvre (Paris) existe uma estátua do Pazuzu! Então, se você tiver interesse, sinta-se a vontade para admirá-la. Se quiserem saber mais sobre o caso do garoto que inspirou a obra, procurem pelo livro Exorcismo: Uma História Verdadeira, de Thomas B. Allen.

 

Quando os Adams Saíram de Férias, de Mendal W. Johnson (1974)

Bárbara, uma jovem de 19 anos, é contratada para cuidar dos dois filhos adolescentes dos Adams. Mas ela não esperava que passaria por maus bocados. Bárbara é submetida a maus-tratos tanto pelos filhos dos Adams quanto pelos três amigos deles. O jogo Liberdade 5 faz com que Bárbara passe por todo tipo de degradação, como fome, tortura física e violência sexual. Mendal baseou sua obra na história real de Sylvia Likens, uma jovem americana que foi torturada até a morte por sua cuidadora, Gertrude Baniszewski, seus filhos e algumas crianças da vizinhança. O procurador público descreveu o caso de Likens como sendo “o mais terrível crime cometido no estado de Indiana”. A leitura é uma porrada atrás da outra; no entanto, eu não gostei de várias atitudes da protagonista.

 

 

It (A Coisa), de Stephen King (1986)

Sete crianças conhecem o lado mais tenebroso do medo ao enfrentarem uma criatura que muda de forma: Pennywise, o palhaço. Trinta anos depois, já adultas, as sete crianças devem, mais uma vez, enfrentar o palhaço macabro, nem que isso custe suas vidas. It ganhou sua primeira versão para cinema em 1990 e ganhará uma nova esse ano (2017). Curiosidade: a banda californiana Pennywise tem esse nome por conta do personagem. A história de Pennywise é grande e interessante. Se você tem medo de palhaços, depois de ler It, eles vão invadir seus sonhos por todo o sempre…

 

 

Os Mortos Vivos, de Peter Straub (1979)

“Qual a pior coisa que você já fez? Não vou contar, mas lhe direi qual foi a pior coisa que já me aconteceu… a mais terrível.” Ricky, John, Sears e Edward sempre se encontraram para contar histórias. Dessa vez será diferente, pois Edward não estará mais com eles. Dessa vez, a história não ficará apenas nas palavras, ela quer realmente ser lembrada. Conheci as obras de Peter Straub quando li A Casa Negra (sequência do livro O Talismã), escrito em parceria com Stephen King, que dispensa comentários. Se você gosta de livros que te prendam até o final, esse é um deles. O horror em Os Mortos Vivos chega a ser tangível. Você vai pensar duas vezes antes de formar rodinha pra contar histórias…

 

 

A Volta do Parafuso, de Henry James (1898)

Uma babá dedicada é contratada para cuidar de dois órfãos. Até aí tudo bem, mas será que o que a babá nos conta é pura verdade? A Volta do Parafuso é o melhor da narrativa de terror psicológico. Tudo nos é contado em primeira pessoa, sob os olhos da babá. Todos os detalhes estão ocultos nas entrelinhas, então preste bastante atenção nelas. Henry James soube construir uma bela, misteriosa e difícil história, que seduz o leitor. Você vai se perguntar diversas vezes se os fatos estão acontecendo de verdade ou se tudo ocorre apenas na cabeça da babá. O final é direto e seco.

 

 

 

The Ruins, de Scott Smith (2007)

México: muito sol, bebidas e paqueras. Seis amigos estão curtindo a folga quando resolvem adentrar numa selva para procurar o irmão de um deles, que desapareceu. Contudo, eles não imaginavam que seus instintos serão testados ao máximo. Além disso, há alguém espreitando, que levará ao ápice as falhas de cada um, onde até a fronteira íntima é ultrapassada. Esse livro ganhou rapidamente uma versão para o cinema (2008). É uma leitura que não perde o ritmo e, a cada página, você fica mais apreensivo com toda a situação do grupo. Segue abaixo um trecho:

“Ele estava deitado com a espinha quebrada, no meio de suas próprias fezes e urina, cercado por desconhecidos que não falavam a sua língua. Como é que ela poderia esperar melhorar essa situação?”

 

Naomi’s Room, de Jonathan Aycliffe (1991)

Dr. Charles Hillenbrand e sua jovem esposa Laura tinham uma vida privilegiada em Cambridge, até que a filha, Naomi, desaparece. O que eu disser a partir daqui pode ser spoiler, então a única coisa que direi é: esse livro fará seus dentes tremerem de tanto terror. Aycliffe consegue narrar a história de forma que ela perturbe o leitor. Toda a trama se desenrola de forma gradual, deixando-lhes com várias dúvidas ao longo dela. O horror é palpável, visceral, sendo posível sentir a angústia dos personagens. É um livro curto, mas rende do início ao fim.

 

 

Sangue Frio, de Truman Capote (1966)

Minusiosamente, a história do massacre da família Clutter é contada, desde sua idéia inicial até a sua execução. Em 1959, uma​ família inteira foi brutalmente assassinada na cidade de Holcomb, Kansas. Um mês depois, Truman Capote chega à cidade. Ele reuniu cartas, fez entrevistas, e assistiu ao enforcamento dos assassinos, em 1965. Nesse mesmo ano, Capote começou a publicar um romance que saía por capítulos, no jornal The New York Times. Em 1966 todos esses capítulos foram reunidos e lançados em forma de livro. O filme Capote (2005) tem como base o desenvolvimento do livro. Essa é uma leitura que vai te prender, não para saber o que acontece no final óbvio, mas para entender o motivo que levou ao planejamento do assassinato da família mais bem quista da pequena cidade (270 habitantes). Vocês sentirão cada dor que cada Clutter sentiu e ficarão horrorizados…

 

A Dança da Morte, de Stephen King (1978)

Um vírus extremamente mortal e contagioso se espalha, tomando conta de todo o planeta. Mais da metade da humanidade sucumbe, fazendo com que os sobreviventes se reúnam em 2 grandes grupos: um liderado pela Mãe Abigail e outro sob a liderança do maldoso Randall Flagg. É o melhor livro de King, considerado por muitos o melhor livro sobre fim do mundo e sobre como a humanidade lidaria com as situações expostas nesse mundo pós-apocalíptico. Vemos também várias ligações com diversas outras obras do King, como Christine, A Torre Negra, Sombras da Noite, Fúria e As Crianças do Milharal. O Livro ganhou uma versão extendida em 1990, uma versão para televisão em 1994 e em 2011 a Warner anunciou que fariam um filme, com Ben Affleck no roteiro e direção. É um livro longo, mas não tão longo quanto It ou a série Torre Negra (sete livros), e é bem legal descobrir até onde o espírito humano pode chegar quando se depara com a situação proposta na trama

 

Quando uma expedição a Antártida dizima quase todo um grupo de experientes arqueólogos e o único sobrevivente luta para manter você e sua equipe longe desse lugar, o que você faria? Depois de algum tempo calado, sem querer reviver o que aconteceu naquele dia, Dr Dyer detalha vários eventos (até então desconhecidos por todos) na esperança de deter um grupo de pesquisadores que querem estudar o local.  Essa história foi escrita  em 1931 e foi rejeitada pelo editor da Farnsworth Wright, da Weird Tales, por acharem que era longa demais. Então, em 1936, foi publicada pela revista Astounding Stories, em formato de série. É um dos melhores trabalhos de H. P. Lovecraft, e que ajudou na popularização da expressão de astronautas da antiguidade. Pra quem nunca leu Lovecraft, a leitura pode parecer complexa e pesada, mas é uma história intrigante. Quase todas as obras deste autor passam essa sensação de desconhecimento (nunca sabemos com o que estamos lidando), até que algo surge e mexe com sua cabeça. Aqui não há o sobrenatural, mas o horror pelo desconhecido e pelo que ele pode fazer com você física e mentalmente.

 

O Poço e o Pêndulo, de Edgar Alan Poe (1842)

Um homem é julgado durante a Inquisição Espanhola e é atirado em um calabouço, onde sofre torturas físicas e psicológicas. Esse calabouço é feito de metal e seu centro possui um poço, fazendo a vítima esquivar-se constantemente para não cair. Em determinado ponto, o homem é dopado e acorda preso a uma cama, onde uma imensa lâmina presa ao teto balança, como um pêndulo, descendo em direção ao seu peito a cada hora que passa. O homem consegue escapar desse suplício, quando a lâmina está quase em seu peito, mas assim que consegue sair da cama, as paredes do calabouço começam a esquentar e a mover, fechando-se ao redor dele. Será que tudo o que é narrado não foi apenas uma defesa do cérebro do homem perante todo o horror que ele estava passando ou realmente aconteceu? O Poço e o Pêndulo ganhou duas adaptações cinematográficas, uma em 1961 e outra em 1991. Entretando, nenhuma consegue ser fiel ao conto.

 

Carrie, de Stephen King (1974)

A jovem Carietta White vive no Maine com sua mãe Margaret White, uma cristã fundamentalista, extremista, doente e vingativa, que sempre cuidou da sua educação da moça com mãos de ferro. Carrie vai mal na escola por ser vítima de bullying: seu modo de agir, vestimentas e aparência geral fazem seus colegas se sentirem no direito de atazaná-la. E a coisa só piora quando sua primeira menstruação chega no banheiro da escola e ela não sabe o que é, pois sua mãe nunca lhe explicou. Além disso tudo, Carrie é dotada de poderes psíquicos e telecinese. Toda a cidade ficará sabendo sobre suas habilidades especiais da pior forma possível. Em 1976, a história ganhou sua primeira adaptação para o cinema, com Sissy Space e John Travolta. No ano de 1999,o filme ganhou uma sequência, onde o argumento é que o pai de Carrie se casou e teve uma filha que também possuía poderes telecinéticos. Nesta versão, encontramos a Sue Snell como conselheira da escola. Em 2002 houve uma refilmagem, estrelando Ângela Betties e, em 2013, mais uma refilmagem, com Chloe Moretz e Julianne Moore (considerada a melhor adaptação cinematográfica do livro).

Curiosidade: quando Stephen King escreveu Carrie, ele detestou o resultado e jogou todas os capítulos no lixo. Sua esposa viu, retirou do lixo e leu, adorando a narrativa. Isso fez King levar a obra até um editor. Esse livro tirou Stephen King da pobreza e nos revelou esse maravilhoso escritor.

 

Enfim, é uma lista curta com resenhas curtas, pois o objetivo aqui não é contar a história de cada livro, mas deixar-vos com vontade lê-los. Em breve, trarei mais obras do gênero, para quem curte e para quem está começando. Boa leitura!

Sobre Ronan Carvalho 83 Artigos
Designer, Gamer, Membro da Tropa dos Lanternas Amarelos e morador de Hell's Kitchen

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.