Maniac: Uma sci fiction que funciona

Quem nunca imaginou ter seus problemas solucionados ao ingerir uma simples pílula, que atire a primeira pedra. Em Maniac, série original Netflix que estreou dia 21 de setembro no serviço de streaming, somos apresentados a um experimento científico que propõe “consertar” os problemas psicossociais das cobaias através da ingestão de três pílulas.

A série se passa em um período que mescla um futuro tecnológico e socialmente conturbado, com elementos socioculturais dos anos 90 – deixando claro que a imagem é meramente ilustrativa e o que importa mesmo é o que irá acontecer e não quando isso está acontecendo.

Além dos elementos clássicos de uma ficção (homem branco liderando, asiáticos inteligentes, casal central que se conhece em prol do núcleo da história), temos uma personagem icônica: uma Inteligência Artificial – ela possibilita o experimento e é através dela que entendemos o porquê das coisas acontecerem como acontecem.

No decorrer da série, vemos como os personagens amadurecem e se solidificam na busca da superação de seus demônios interiores, concluindo-se de uma forma agradável.

Vale ressaltar minha tara por ficções que utilizam elementos ligados ao realismo científico, e me atraiu bastante a comparação dos circuitos da IA com as secções cerebrais.

Maniac é uma sci fiction que funciona muito bem e, por vezes, nos faz pensar no quanto a tecnologia já avançou e em quando nós estaremos tomando as tais pílulas no mundo real.