Netflix: Produção de mais, qualidade de menos

A Netflix é uma referência do streaming. Sendo a pioneira no ramo, vem acumulando novos assinantes a cada dia e aumentando, o seu já imenso, lucro. Porém, de uns tempos para cá, a Netflix tem sofrido com uma perceptível queda de qualidade em suas produções.

Em fevereiro de 2018, o chefe financeiro do serviço de streaming,  David Wells, disse à Variety, que a Netflix investirá cerca 8 bilhões em conteúdo – entre filmes, séries e especiais -, durante o ano. E isso tem acontecido. A cada mês, surge um produto original no catálogo. É compreensível tal movimento, dado que a Disney e DC já anunciaram seus próprios serviços de streaming, tirando assim as suas produções do catálogo da concorrência. Contudo, é perceptível a queda de qualidade nas produções originais. Filmes como Mude e séries como Everything is Sucks são o reflexo dessa nova política. Produções feita às pressas, ou que passam por um devido refino da qualidade já comprovada, como House of Cards e Stranger Things.

Com a popularidade do serviço, as novas plataformas que surgem buscam um primor em suas produções, vide a HBO. Cabe a Netflix rever sua política de conteúdo e perceber o que está bem em frente ao seus olhos: quantidade nem sempre se reflete na qualidade. Menos pode significar mais.

 

About Ronan Carvalho 75 Articles
Designer, Gamer, Membro da Tropa dos Lanternas Amarelos e morador de Hell's Kitchen