Saintia Shô

Os Cavaleiros do Zodíaco, Saintia Shô, vol. 1,
por Danielle Sodré

Claramente, os Cavaleiros do Zodíaco estiveram de alguma forma presentes na vida dos leitores, ou mesmo espectadores, do universo dos quadrinhos, principalmente dos mangás e animes.
Vários são os arcos que compõem a narrativa dos Cavaleiros do Zodíaco, não sendo diferente, portanto, com a apresentação do mangá Saintia Shô, história que é inserida concomitantemente ao início da Guerra Galáctica (torneio idealizado pelo Mitsumasa Kido, avô de Saori Kido que tem como prêmio a armadura de ouro sagrada de Sagitário), período instável e fragilizado em que Saori assume de fato seu destino enquanto Deusa Athena para lutar contra o mal que ameaça o mundo.
Esse mangá traz a história de “cavaleiros especiais” mulheres – apenas, que têm como principal responsabilidade os cuidados das necessidades da Deusa Athena quando encarnada em Terra. Isso dá à essas mulheres o direito à exceção de usar armaduras sem precisar abdicar “do seu lado feminino” – este último, transcrito da mesma forma como se apresenta no mangá. Ou seja, difere das Amazonas – mulheres que usam máscaras para esconder seus rostos e, dos cavaleiros em si (de Bronze, Prata e Ouro) que são comumente compostos por homens. Portanto, as Saintias – assim denominadas, são guerreiras defensoras diretas da Deusa Athena.
O mais bacana dessa sequência narrativa que se apresenta é que logo no seu primeiro volume não requer, por obrigação, a leitura de outros arcos para a compreensão dessa história, ficando apenas como sugestão para leitura futura – tendo em vista que o formato é meio que “viciante”, o que aumenta a vontade de ler cada vez mais.
O primeiro volume faz uma boa introdução do que a trama irá focar, respeitando a introdução de cada personagem e seu papel na narrativa. Esse é o momento da história em que há a tentativa de reencarnação da Éris, a Deusa da Discórdia – com apresentação composta por elementos como a simbólica maçã dourada, a serpente alada e das ervas-de-são-joão que representam má sorte, na hospedeira escolhida, Shoko (Shô), para dominação do Santuário e, assim, instalar o mal sobre a Terra.
O material foi produzido por Chimaki Kuori e publicado pela editora JBC em outubro de 2016 e, já está no seu segundo volume. Infelizmente, o meio mais fácil que adquirir é ainda pela internet, não sendo esta uma produção muito fácil de se encontrar nas lojas que comercializam este tipo de conteúdo em Salvador.
É uma boa recomendação para leitura, principalmente para àqueles que tem o interesse em ler mangá, mas não sabe bem por onde começar, que acha que precisa ler várias outras histórias para “se situar” na história, ou mesmo para quem não tem muita grana.

Boa leitura e boa aventura!

Danielle Sodré
About Danielle Sodré 20 Articles

Engenheira Ambiental e Sanitarista. Fã da Mulher-Maravilha. Entusiasta por representações femininas na cultura pop e suas repercussões

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.